Grelhados de carnes DOP transmontanas para celebrar o verão

Seja verão ou inverno, a carne transmontana fica sempre bem numa ementa que valoriza os melhores produtos locais. A preservação das raças autoctones de carne em Trás-os-Motes tem permitido à região disponibilizar uma invejável oferta de carnes de Denominação de Origem Protegida (DOP), da vaca, ao porco, cabrito ou borrego, de elevada qualidade. Integrar esta riqueza gastronómica nas ementas é uma das propostas do restaurante Cais da Villa também para o verão. 

Com enfoque nos grelhados, a ementa estival inclui cordeiro transmontano com alecrim, posta de vitela Maronesa ou naco Maronês com guarnição do monte. Nas entradas pode ainda saborear-se o carpaccio de vitela Maronesa, acompanhado de queijo terrincho. 

Se a opção for pelos peixes, a carta apresenta, para entrada, truta de rio curada, de origem transmontana, com gel refrescante de citrinos ou, como prato principal, os clássicos Cais da Villa, cataplana de garoupa, arroz de tamboril ou polvo grelhado guarnecido com migas de espinafres. 

Para o crescente grupo dos vegetarianos – mas também para todos os apreciadores de carne e peixe que gostam igualmente de legumes -, o chefe Daniel Gomes propõe raviolli de cogumelos, creme aveludado ou risoto de cogumelos e espargos. 

Destaque ainda em termos de guarnição para os cuscos transmontanos (servidos com o rodovalho corado), uma tradição de séculos na região que esteve quase extinta e que agora se procura recuperar no Cais da Villa. Este produto quase desconhecido do resto do país é feito de trigo, preferencialmente de barbela, amassado à mão, secado ao sol e cozido a vapor em cuscuzeiras.

Nas sobremesas, estão de regresso os frutos vermelhos, acompanhados com folhado, mantendo-se na carta o afamado pão de ló à Cais da Villa, bem como a opção de tábua de queijos portugueses e frutas da época. 

O menu de degustação proposto inclui gaspacho de cereja, presa de porco bísaro, outra das carnes DOP da região, guarnecida de espargos e batata brava e, para sobremesa, pêssego, amêndoa e leite creme (35 euros). 

Local de sabores e de encontros, o CAISDAVILLA é um espaço de memória e modernidade, de valorização dos produtos locais e de época. É também um espaço dinamizador de eventos, sejam vínicos, culturais ou de lazer. Mais do que um restaurante, é um projeto integrado num território que é o Douro e Trás-os-Montes.