Primeiro Soalheiro Tinto já está no mercado

Passados 37 anos do lançamento do Soalheiro, e após alguns ensaios prévios com bons resultados, a Quinta de Soalheiro, conhecida pelos conceituados brancos Alvarinho, abre um novo capítulo da história da primeira marca de Alvarinho em Melgaço: apresenta agora o seu primeiro vinho tinto, o Soalheiro Oppaco, também pioneiro por se tratar de um vinho tinto da região com lote de uvas tintas (Vinhão) e uvas brancas (Alvarinho).

Com um perfil delicado e elegante, esta nova aposta do Soalheiro baseia-se nas castas Vinhão e Alvarinho com a convicção de que a rusticidade do Vinhão é em parte moldada pela elegância do Alvarinho, encontrando um excelente balanço de aroma e sabor.

A Quinta de Soalheiro procura implementar os melhores princípios vitícolas e enológicos, de forma a potenciar a expressão dos seus terroirs, e é por isso que lança o Soalheiro Oppaco com um lote de Vinhão e Alvarinho.

“Sentimos que o nosso terroir pode produzir vinhos tintos de aroma elegante, mas consistentes e de cor rubi mais ligeira, diferentes dos tradicionais vinhos verdes tintos de cor carregada e consumo jovem (que também são prazerosos e apreciamos com a gastronomia local). As uvas de Vinhão (sinonímia de Sousão no Douro) que produzimos na nossa região são muito especiais sobretudo pela concentração em taninos e cor, sendo por isso essencial o lote com outra casta, neste caso particular escolhemos o Alvarinho, para produzir um vinho mais contido e elegante”, refere António Luís Cerdeira, da Quinta de Soalheiro.

Soalheiro OPPACO

O Soalheiro Oppaco, com uma cor rubi, aroma fresco e com fruta, tem um sabor elegante, longo e consistente. É ideal para acompanhar pratos de peixe gordo, tal como o Soalheiro Primeiras Vinhas e o Soalheiro Reserva, pratos de carne branca (pato e peru por exemplo) ou vermelha, pratos de caça, e igualmente ideal para acompanhar fumeiro e queijos curados. Designa-se de Oppaco por ser o primeiro Soalheiro tinto.

“Tentamos com este vinho criar mais um caminho para os vinhos tintos da região sem ter necessariamente agregado o conceito de juventude, até porque acreditamos que o Soalheiro Oppaco é um vinho com um potencial de evolução semelhante aos restantes vinhos da gama Soalheiro”, referem António Luís e Maria João Cerdeira confiantes no potencial deste novo vinho que consideram um grande desafio.

António Luís Cerdeira esclarece ainda que os esforços no dia-a-dia do Soalheiro colocam em primeiro lugar o território: “Foi sem dúvida uma vontade de experimentar caminhos diferentes nos vinhos tintos da região com o potencial que a natureza oferece, permitindo que a nossa família de vinhos inclua um vinho tinto bem como o nosso ADN… elegante e delicado, mas consistente… um vinho tinto feito por um produtor de brancos. A reacção das primeiras provas é muito positiva o que nos motiva para continuar com este perfil”.

Ao contrário da tradição da região, que privilegia os vinhos tintos do ano, o Oppaco é um vinho com envelhecimento em casa. A primeira colheita do Oppaco é de 2013.