Wine Spectator atribui 94 pontos ao ‘Quinta de La Rosa Porto Vintage 2012’ e recomenda dois tintos de 2011

A Wine Spectator acaba de atribuir 94 pontos ao ‘Quinta de La Rosa Porto Vintage 2012’, depois de ter recentemente recomendado o ‘La Rosa Reserva tinto 2011’ e o ‘Passagem Reserva tinto 2011’.

São assim três os vinhos com assinatura da família (de Sophia) Bergqvist e do enólogo Jorge Moreira que surpreenderam a crítica de um dos mais conceituados wine tasters mundiais, o norte-americano Kim Marcus.

Para o editor executivo da revista Wine Spectator, que conta com mais de 25 anos de experiência, o ‘Quinta de La Rosa Porto Vintage 2012’ revela deliciosos sabores a lembrar ameixa preta e cereja silvestre.

Exuberantes notas de pimenta e chocolate denotam um final de boca longo com notas de menta seca e especiarias. Um Porto para acompanhar sobremesas, agora ou até 2040. A novidade desta colheita, que aparece com uma nova “roupagem”, foi o lançamento simultâneo em garrafas de 375 e 750ml, que em Portugal, estão à venda por €22,50 e €45,00 respectivamente.

A Wine Spectator publicou na edição deste mês uma lista de “Vinhos Recomendados de Portugal”. No que toca a tintos foram 28 os eleitos, dos quais 22 são do Douro e onze da “tão badalada” colheita de 2011, como é o caso dos dois com a chancela da dupla Bergqvist e Moreira.

À semelhança do que aconteceu com o mais influente crítico mundial, Robert Parker (da Wine Advocate), também Kim Marcus atribuiu 95 pontos ao ‘La Rosa Reserva tinto 2011’, um vinho onde é de destacar uma cor profunda quase opaca, a enorme intensidade e complexidade aromática, onde a fruta vermelha e preta e os aromas florais e silvestres se envolvem para criar um vinho bonito, como o adjectiva Jorge Moreira.

Um vinho com potencial de envelhecimento garantido até 2022, escreve o crítico na edição de Julho da publicação acerca deste blend de Touriga Nacional, Touriga Franca e Tinta Roriz que harmoniza na perfeição com pratos de carne fortes, enchidos ou um bom queijo da Serra.

O ‘Passagem Reserva tinto 2011’ arrecadou 92 pontos. Um lote de Touriga Nacional (40%), Touriga Franca (45%) e Tinto Cão (15%) que originou um néctar aromaticamente fino e elegante, com notas de violeta, bergamota e ameixa.

Uma verdadeira explosão de sabores na boca, com fruta doce e atraente seguida de impressões cítricas que equilibram este vinho e lhe proporcionam comprimento de prova. Para Sophia Bergqvist, “este é um vinho sério, mas ao mesmo tempo muito divertido”.

Comprada pela família Bergqvist em 2005, a Quinta das Bandeiras é uma propriedade de 100 hectares localizada na sub-região do Douro Superior: no Pocinho, junto ao rio Douro e de frente para a famosa Quinta do Vale Meão.

Numa joint venture com o enólogo Jorge Moreira, a família Bergqvist e ele embarcaram numa aventura “50:50” para produzir e comercializar vinhos com a marca ‘Passagem’.

Um nome que advém do facto de existir uma linha de comboio com uma passagem de nível abandonada na propriedade e também porque retrata a jornada e experiência de duas famílias distintas no Douro: uma mais antiga e inglesa (Bergqvist) e uma jovem e portuguesa (Moreira).