Sete restaurantes portugueses conseguiram a certificação “Ospitalità Italiana – Restaurantes italianos no mundo”

A Camera di Commercio Italiana per il Portogallo, no seguimento da adesão ao projecto “Ospitalità Italiana – Restaurantes Italianos no mundo”, tem o prazer de informar que a edição 2019 já se encontra concluída, tendo já sido avaliados os numerosos restaurantes de todo o país que se candidataram e tendo sido escolhidos os que conseguiram a certificação. 

Trata-se dos seguintes locais:

– La Pasta Fresca (Lisboa) – 1ª Certificação

– Forno d’Oro (Lisboa) – 1ª Certificação

– Al Garage (Lisboa) – 1ª Certificação

– Osteria (Lisboa) – Renovação

– Come Prima (Lisboa) – Renovação

– Italy Caffè Ristorante Pizzeria (Lisboa) – Renovação

– Ristorante Italiano Sergio Crivelli (Matosinhos) – Renovação

 

Além destes 7 restaurantes existem ainda estabelecimentos que renovarão a certificação no próximo período de certificação (2º semestre 2019). Para consultar o elenco completo: www.10q.it

A estes restaurantes vão os nossos parabéns. Mas não só: no próximo dia 30 de Junho, no evento “D’Itália” que decorrerá na FIL – Centro de Congressos de Lisboa, teremos o prazer de lhes entregar os diplomas e as placas que poderão afixar junto à entrada dos locais.

Não podemos, contudo, deixar de agradecer a todos os restaurantes que nos acolheram, respondendo as nossas perguntas e abrindo as portas das suas cozinhas e armazéns para que pudéssemos efetuar as avaliações. Em particular, aos restaurantes que não obtiveram a certificação, lembramos que é possível voltarem a candidatar-se para a próxima edição.

Lembramos ainda que esta iniciativa não comportou nesta edição, e não comportará na próxima, algum custo para os participantes, tendo como objetivo distinguir os restaurantes que respeitem as tradições da gastronomia italiana, sendo, portanto, autênticos embaixadores da boa comida Italiana em Portugal e no mundo, decorrendo em mais de 54 países.

*O projecto é realizado com o contributo do “Fondo Intercamerale di Intervento di Unioncamere”